A Evolução do Consumidor 3.0 A Evolução do Consumidor 3.0

Entenda como se deu a evolução do consumidor e a transformação digital de cada perfil

6 minutos para ler

Você já se perguntou como foi a evolução do consumidor? Como se deu a transformação digital?

Este artigo vai trazer um histórico desta evolução, tratando cada etapa do comportamento do consumidor e traçando o perfil de cada fase. Então confira os principais tópicos que serão discutidos:

  • Como aconteceu a evolução do consumidor
  • Perfil 1.0: O início de tudo
  • Perfil 2.0: A evolução da Internet
  • Perfil 3.0: O jogo virou
  • Perfil 4.0: Experiência de marca
  • Perfil 5.0: O poder de decisão do consumidor

A Evolução do Consumidor 3.0 - Consumidor 1.0

Como aconteceu a evolução do consumidor?

Antes de nos aprofundarmos nesse assunto, é importante entendermos que esta evolução aconteceu não somente a partir das necessidades de consumo das pessoas, mas também nas relações entre as empresas e clientes.

O acesso que os consumidores têm à tecnologia não é o principal impulsionador de um novo comportamento, mas sim a percepção que ele teve do que a tecnologia pode oferecer no comando em suas relações com as empresas.

Este novo comportamento emergiu na era da Internet e das Redes Sociais como um mero espectador das movimentações das empresas com quem se relacionava, para um papel ativo, que controla os relacionamentos.

Se um dia o consumidor estava condenado a buscar as soluções de que precisava e, muitas vezes, não as encontrava com preços acessíveis ou qualidade aceitável, hoje ele exige nada menos que um atendimento de excelência e um produto de qualidade. Aliás, ele até pagaria mais, sem problema algum, por essas duas características.

Mas o que faz este consumidor para ser 5.0 agora? É disso que viemos tratar aqui. Veja abaixo, como aconteceu a evolução do consumidor, saindo de 1.0 para o 5.0.

A Evolução do Consumidor 3.0 - Consumidor 2.0

A evolução do perfil de consumo 1.0 a 5.0

Perfil do consumidor 1.0: O início de tudo

O consumidor 1.0 surgiu nos anos em que a Internet se formava, quando o acesso era restrito a modems discados e a grande massa da população ainda não tinha acesso.

Contudo, o que aconteceu com o início da World Wide Web no âmbito corporativo foi uma maneira de empresas criarem sites nos quais simplesmente copiavam e colocam sua comunicação visual, adicionando apenas alguma chamada promocional para acesso ao telefone ou loja física. Nada mais que isso.

Com a explosão da bolha pontocom, os motores de busca foram desenvolvidos para ajudar os consumidores 1.0 a navegar pelas pilhas de sites promocionais sem interação, quase como uma lista telefônica facilitada.

No entanto, a crença que prevalecia à época ainda deixava o poder nas mãos das empresas. Se os usuários precisassem de produtos e serviços, procurariam essas páginas amarelas digitais, os endereços, telefones e fariam a compra.

Perfil do consumidor 2.0: A evolução da Internet

Com a evolução da Web, as páginas e sites se tornaram um canal propriamente dito, formando o consumidor 2.0. Enquanto as empresas começaram a desenvolver maneiras de alavancar a Internet como um método de geração de vendas, o consumidor 2.0 viu a oportunidade de usar a informação como vantagem.

Os consumidores passaram a procurar pela oportunidade de escolha e maneiras de fazer a compra de forma consciente, procurando o melhor preço, a melhor qualidade e o melhor atendimento.

Foi isso que encorajou os modelos inovadores de negócio baseados somente em Internet, como a Amazon e o eBay, que desafiaram a economia de negócios tradicionais.

Mas ainda assim, como acontece no mundo físico, o consumidor 2.0 dependia de encontrar uma empresa e ir até ela, mesmo com o leque de opções cada vez mais aberto e a possibilidade de comprar diretamente via internet.

Perfil do Consumidor 3.0: O jogo virou

Parece que o jogo virou, não é mesmo?

Foi isso que o consumidor 3.0 fez. Virou o jogo, flipou a mesa, tomou o baralho, assumiu o comando. Nesta fase o consumidor começou a ter maior influência sobre as empresas do que antes.

Os consumidores não iam mais simplesmente atrás das empresas para fazer negócios. São as empresas que precisam encontrar os consumidores e engajá-los com eficiência, já que estão imersos em um universo hiperconectado, praticamente paralelo, empoderados por informação, diversas possibilidades de escolha e um comportamento imediatista começa a surgir.

Essas características colocaram o consumidor 3.0 no comando, dando forma ao ecossistema digital e estremecendo as estruturas do mundo dos negócios.

Perfil do Consumidor 4.0: O poder de decisão do consumidor

O consumidor continuou evoluindo e ficou mais exigente, chegando ao perfil 4.0. E nesta fase, o principal diferencial foi o fácil acesso a tecnologia. 

Com a transformação digital, os hábitos de consumo foram impactados de forma significante e o consumidor passou a ter muito mais facilidade para buscar o que deseja e entender exatamente o que quer, do jeito que ele quer.

Além disso, as redes sociais contribuíram, e muito, para a conexão de diferentes pessoas que estejam falando sobre o seu produto ou serviço, então ao expor a sua marca nas redes sociais, é muito importante que também haja uma estratégia de aproximação e relação com seu público. Um dos fatores que mais influenciam este tipo de perfil de consumidor é o atendimento, pois ele quer se sentir ouvido e parte da empresa.

A Evolução do Consumidor 3.0 - Consumidor 3.0

Perfil do Consumidor 5.0: Experiência de marca

Por fim chegamos ao perfil do consumidor 5.0, os famosos nativos digitais. Estes perfis têm características muito marcantes e prezam por uma boa experiência e atendimento personalizado das marcas. Além disso, este usuário tem algumas tendências como:

  • Ser Heavy user de tecnologias: Por serem nativos digitais, eles possuem o mundo nas mãos de forma literal e em forma de celular. Ele busca o atendimento onde ele mais está, seja nos aplicativos, redes sociais, e-mails, chats, entre outros.
  • Valorizar a experiência com a marca: O Customer Experience aqui entra em jogo e este consumidor está pronto e na expectativa de ser surpreendido positivamente.
  • Influenciar e ser influenciado: Outra característica deste perfil é que, por usar muito a internet, ele está sempre bem informado sobre o produto e busca a opinião de amigos, familiares e até desconhecidos para entender todas as especificações do produto ou serviço.

 

Portanto, ao trabalhar com este perfil de consumidor, é muito importante que haja um investimento no uso de dados e o foco no cliente para assim conseguir personalizar o produto, conquistar na experiência e fidelizar no atendimento.

 

Invista em uma estratégia de marketing que coloque o cliente em foco e estreite as  relações com este perfil.


E a sua empresa? Já se deu conta de que quem dá as cartas é o consumidor?

Confira nosso kit com diversos materiais sobre as jornadas do consumidor no link abaixo.

As Jornadas do Consumidor
Posts relacionados

Deixe um comentário