experiência do consumidor experiência do consumidor

A experiência do consumidor é o futuro das competições entre empresas

3 minutos para ler

Você está preparado para o futuro? Nele, mais do que tecnologia avançada, um fator vai definir a competição entre empresas: a experiência do consumidor.


experiência do consumidor

Se eu te disser, aqui, que o principal fator competitivo da uma empresa tem base na experiência do consumidor você vai me responder: “tá, mas e qual a novidade”?

E é justo você dizer isso. Afinal, estamos na era do consumidor, certo? O consumidor no centro. O consumidor tem razão. O consumidor é o patrão. Mas vou te chamar atenção pra algo que, talvez, você não tenha prestado atenção.

Muitas vezes, ao colocar o consumidor como foco e centro de suas estratégias, as empresas cometem o equívoco de esquecer qual é o foco e qual é o centro dos objetivos do consumidor. 

Em resumo, as empresas preocupam-se em converter vendas e conter reclamações, quando se esquecem de entregar experiências positivas e ricas para os consumidores. E é dessa experiência que vim falar.

Veja aqui 21 motivos para usar uma ferramenta omnichannel e aprimorar a experiência do consumidor

A experiência do consumidor é o maior diferencial

Uma previsão da Gartner aponta que, em apenas alguns anos, 89% dos negócios irão competir principalmente no quesito Experiência do Consumidor. E se você não se assustou com este dado (ou não conseguiu absorver a dimensão do quanto ele pode ditar tendências nos próximos anos), completo com mais um, do mesmo estudo da Gartner: até 2017, 50% de todos os investimentos em produtos para o consumidor serão direcionados para aprimorar a experiência.

O que isso significa, na prática?

  • A qualidade dos produtos e serviços não pode ser mais questionada. Precisam ser bons, ou estão fora do circuito;
  • Atender bem o consumidor não é mais um diferencial: é uma demanda. Quem não fizer, está fora;
  • Colocar o consumidor no centro da estratégia? Errado. Coloque a sua empresa no centro da estratégia do consumidor, ou também está fora;

Ou seja: além de ser muito bom no que faz e ter uma estrutura preparada para atender seus consumidores, uma empresa precisa esquecer os velhos moldes de seu negócio e parar de se preocupar com conversão e retenção e se preocupar mais com a experiência que está proporcionando, com os problemas que está resolvendo no mundo, com a ajuda que estão prestando para pessoas e organizações.

Como, então, se preparar para este futuro?

A resposta é simples: pense como consumidor. Vista a camisa do consumidor. Seja o serviço que você gostaria de ter. A revolução na experiência do consumidor depende mais de uma mudança de perspectiva das empresas do que da adaptação destes consumidores. Eles evoluem muito mais rápido.

Acesse nossos materiais educativos
Posts relacionados

Deixe um comentário