Saiba tudo sobre o futuro do atendimento ao cliente

Ricardo Cestari Junior | agosto de 2016

O que o futuro do atendimento ao cliente nos reserva? Estar atento às tendências no relacionamento com o consumidor é crucial para oferecer uma boa experiência a eles!

Preparado para saber tudo sobre atendimento do futuro? Então continue lendo!


O Futuro do Atendimento ao Cliente

Como o atendimento ao cliente começou?

O atendimento ao cliente como conhecemos hoje começou a se tornar uma realidade depois da popularização do telefone como um canal de atendimento. Mas da invenção do telefone até isso demorou bastante: foi do início para o meio do século XX.

Em pouco tempo o telefone deixou de ser a principal ferramenta do atendimento ao cliente para se tornar apenas mais uma. Agora, existem diversas possibilidades online e offline para garantir ao consumidor um relacionamento direto, rápido, eficiente e objetivo.

Com o advento dos smartphones e seus milhões de aplicativos, tudo caminha para que o atendimento ao cliente também siga esse rumo. Mas será que é só isso ou tem mais?

Ao pesquisar sobre o assunto, é possível pensar em algumas possibilidades para o futuro do atendimento. 

O atendimento ao cliente nos dias de hoje


Mais uma revolução tecnológica acontece atualmente. Depois dos computadores, notebooks, seus softwares e internet ilimitada, os celulares e tablets se tornam a cada dia os responsáveis pela maioria dos acessos à web. 

Mesmo assim, o atendimento ao cliente deve, obrigatoriamente, tentar entrar nesse mercado e conquistar uma boa parcela do público. Só assim, ele vai se manter dentro da dinâmica do mundo e conseguir conquistar cada vez mais consumidores. As empresas que saírem na frente, com certeza, serão aquelas que vão se destacar.

Existem vários exemplos de empresas que se arriscaram no mundo dos aplicativos e estão fazendo sucesso com isso. Invés de usar os que já existem, elas criaram os seus próprios e lá é possível fazer tudo. Acessar conteúdo, negociar, ver o que está à venda, comprar e, claro, enviar suas dicas, sugestões, reclamações e dúvidas. 

Assim, o atendimento ao cliente cresce de maneira correta e inovadora, juntamente com a evolução da tecnologia e dos meios de comunicação.

WhatsApp e a inovação dos novos canais

Além disso, nas pequenas empresas é possível ver o uso necessário e cada vez mais comum do WhatsApp como forma de relacionamento com o consumidor. Uma estratégia muito boa e simples de usar que, com certeza, alavanca as vendas e aproxima o contato.

Agora que as grandes empresas também conseguem realizar atendimento via whatsApp para atender o público é praticamente impossível descartar esse canal de atendimento.

Pense no exemplo de um varejo de roupas. Com o contato via whatsapp a loja pode informar sobre uma nova coleção para os clientes, aceitar pedidos e até agendar como vai ser a entrega. É a tecnologia ajudando e muito no processo de vendas e também no de atendimento ao cliente.

Por estarmos no meio desse processo ainda é difícil prever o futuro do atendimento Mas dá para imaginar algumas coisas.

As previsões para o atendimento ao cliente


É possível prever o aumento do número de máquinas para realizar praticamente todos os processos feitos pelos humanos. Mas isso não é apenas no atendimento ao cliente, não. Essa previsão vale para diversas áreas corporativas e do conhecimento.

No atendimento ao cliente, o uso de inteligência artificial permite o desenvolvimento e adoção de chatbots e outras ferramentas de autoatendimento. Assim, os operadores podem se concentrar nos chamados mais complexos.

E o melhor disso tudo fica com a experiência do consumidor no atendimento ao cliente. Uma das principais críticas de toda e qualquer pessoa é com a burocracia que ainda é encontrada em alguns serviços de SAC no país. Já que 85% disso tudo será comandado por máquinas e sua inteligência, a parte humana vai se tornar muito mais leve, tranquila de ser feita e flexível. Os 15% que sobram vão existir exatamente para dar o toque necessário de humanidade nesse tipo de relacionamento.

Por isso, o que o futuro do atendimento ao cliente apresenta é sim, muito bom. Apesar do menor número de intervenção humana, tudo será feito com mais qualidade, menos burocracia e mais objetividade. O que vai gerar maior empatia por parte dos consumidores, que vão passar a gostar mais do relacionamento entre empresas e eles.

Como será o atendimento do futuro?


No futuro imediato do atendimento ao cliente é possível perceber uma força dos estudos e do planejamento especialmente em dispositivos móveis. 

Cada vez mais as empresas vão ter acesso às informações pessoais dos consumidores que terão a seus dados expostos graças aos aplicativos que dão uma experiência mais real e, ao mesmo tempo, altamente disseminada.

Um exemplo é a febre do Pokemon Go. Por misturar realidade virtual com a vida real, ele consegue informações privilegiadas sobre a sua vida, o lugar que mora, por onde anda e sua rotina. Em outras palavras, tudo que uma empresa queria saber para vender mais produtos para você. 

Saiba tudo sobre a Lei de Proteção de Dados Individuais (LGPD).

Essas informações servirão como base para garantir um atendimento ao cliente mais pessoal, íntimo e único. As máquinas e seus aplicativos vão conseguir manter no banco de dados informações tão específicas que vai ser possível oferecer um relacionamento e conteúdos para aquela pessoa, somente para ela. Até mesmo colocar isso de forma nominal, citando o primeiro nome do cliente para mostrar que aquilo foi feito para ele e mais ninguém.

Quanto mais esse tipo de informação chegar às mãos dos empresários, menos privacidade as pessoas vão ter e mais suscetíveis estarão de serem surpreendidas e por todo tipo de negócio. O caminho do atendimento ao cliente, como de todo o mercado, é esse.

Por isso, é preciso saber se o estilo de realidade virtual proporcionado pelo Pokemon Go vai ser apenas uma brincadeira que logo passa, ou se as pessoas estão realmente suscetíveis e disponíveis para passar suas informações diárias em troca de uma experiência diferenciada e mais real dentro da internet.

Caso isso tudo dê errado, uma nova forma de pensar vai precisar aparecer. E o mercado, mais uma vez, vai ter que se reinventar e procurar novas estratégias para agradar ao seu público. Agora é só esperar para ver.

Ricardo Cestari Junior